• Stephany Melo

Maternidade, carreira solo e um bom look com Anna Julia Sanchez

A Anna é mãe do Bernardo e brilha por aí em carreira solo como Consultora de Estilo, Stylist e Designer – com Studio e Brechó próprios, vai segurando. Mas sem romantizar a realidade: neta de alfaiate e apaixonada por moda desde criança, ela nos deu uns 360º de seu estilo e de que o clássico “quando você faz o que você ama nem parece que tá trabalhando” é uma grande farsa. E foi daí que ela nadou contra a corrente dos cursos tradicionais, abraçou a arte e se formou em Moda. O resultado por aqui? Em tempo de quarentena, foi um bate-papo que vai dos desafios de trabalhar de casa com um filho pequeno às dicas de como definir o próprio estilo. Confira:



Anna, você pode se apresentar brevemente para as Chicas?

Tenho 24 anos, mãe solo do Bernardo, de dois aninhos, moro em São Paulo desde sempre, mas existe um pedacinho de mim em cada canto do mundo: amo viajar, conhecer lugares e culturas novas. Cresci na casa dos meus avós, e isso me ajudou muito a moldar o meu caráter. Eles me ensinaram tudo que sou hoje. E uma características marcante minha é que com certeza sou esforçada! Quando tenho um objetivo, aquilo se torna minha prioridade dia e noite.


Você sempre quis trabalhar com moda? O que te fez bater o martelo na decisão?

Desde que me entendo por gente! Tenho até uma história engraçada sobre isso: quando eu tinha uns 5 ou 6 anos, duas tias minhas se casaram e eu A-M-A-V-A ir às provas de vestido pra pegar os retalhos que ficavam embaixo da máquina de costura. A costureira me entregava sacos e mais sacos de retalhos para fazer roupas pras minhas bonecas. Meu avô é alfaiate e me ensinou desde pequena a costurar. De início, toda minha família foi contra, comecei a fazer Relações Internacionais por conta deles, e esta era a condição para que eles me ajudassem a pagar. Mas tranquei, joguei tudo pro ar no primeiro semestre, fiz prova escondido, passei, e banquei a graduação em moda com um puta esforço! Apresentei meu tcc grávida de 8 meses, ninguém da minha família foi. Me formei, ninguém foi. Mas eu sempre tive absoluta certeza de que era isso que eu queria pra minha vida.


Não vamos perder a chance de perguntar essa: em tempo de quarentena, como você vê o papel que a moda pode ter? Acredita em uma forma de usar as roupas a nosso favor nesse momento também?

Acho que é tempo de pensar no mercado como um todo, porque tudo mudou. Uma coisa que tenho me perguntado muito durante esses dias é: desfiles com público ainda são extremamente necessários? E falando como Consultora de Estilo, agora é a hora de firmar os pés na internet. E como fazemos isso? Transmitindo confiança! As fotos dos seus produtos e até mesmo as suas, dependendo do tipo de trabalho que você faz, serão sua vitrine. Um bom conteúdo, uma boa foto e uma imagem pessoal que transmita a mensagem correta faz dinheiro em tempos de quarentena.



Você já trabalhava em regime home office antes de tudo isso começar. Como tem sido agora a rotina e organização com o filho pequeno sempre em casa? Alguma dica valiosa para as leitoras mães?

Trabalho com home office desde junho de 2017, quando fui afastada pela gravidez. E com 5 dias de vida do meu filho, enquanto amamentava, também entregava jobs de design. Trabalhar com filho em casa, seja qual for a idade, é extremamente difícil. Um salário instável deixa qualquer mãe insegura. É importante não romantizar o empreendedorismo materno, é muito difícil, requer o dobro - às vezes até o triplo - da dedicação! Esse papo de “quando você faz o que você ama nem parece que tá trabalhando” é tudo mentira, rs. Quando você ama o que faz, você se importa, e isso gera mais cobrança. A dica que posso dar às mamães que estão enfrentando o home office é: tá tudo bem pirar, jogar tudo pro alto e chorar no banho. Você não tem que dar conta de tudo o tempo todo. E o principal: se dedicar ao seu trabalho não te faz uma mãe menos dedicada! Isso te faz uma mulher com sonhos, objetivos e ambições.


Nos preciosos tempinhos de folga, o que você gosta de fazer para se reconectar com você mesma?

Assistir filme com o meu filho e estudar! Amo estudar, ler e estar sempre cheia de novidades pros meus clientes de design e de consultoria! Um banho quentinho e demorado enquanto a cria está dormindo também ajuda bastante. Como eu não bebo, um docinho escondido também me alegra.



Que você adora usar preto não é segredo, é só abrir seu feed pra ver. Mas como você define seu estilo? Onde mais busca inspiração? Alguma referência principal de estilo para você?

Defino meu estilo como meu! Sou ZERO aquela pessoa que coloca as outras dentro de uma caixinha (esportiva, romântica, roqueira) e acho isso over. Meu estilo é quem eu sou, onde eu frequento, as músicas que eu escuto, a minha religião… É uma mistureba de mim mesma e eu amo. Geralmente busco inspirações em perfis que me identifico (tipo de corpo, estilo de vida, gostos parecidos) e no Pinterest, onde tenho uma pastinha que vivo analisando antes de comprar pra não gastar sem necessidade. Sou a pessoa da auto análise, então antes de comprar ou salvar qualquer peça, penso se aquilo vai ornar com o restante das minhas roupas, se eu tenho ocasiões para usar aquilo, se eu gostei da peça em si numa foto, por exemplo, ou do tecido da peça, do caimento, da combinação, e por aí vai. Sou bem crítica em relação à compras e acho que todo mundo deveria começar a ser também.


E para as Chicas que estão atrás de definir o próprio estilo, quais são as dicas iniciais que você daria?

Primeira coisa: procurar uma Consultora de Imagem, haha. Mas é verdade, isso pode ajudar muito a encontrar o seu estilo, aprender a comprar roupa e entender se aquilo funciona ou não pro seu guarda-roupa. Se não tiver essa oportunidade, a dica é analisar looks em pastinhas do Pinterest, ver se o que você gosta é a estampa, a textura ou comprimento, por exemplo, porque às vezes a gente salva várias opções e nem sabe o que realmente gostou. E isso não significa que você tem que comprar cada peça que salva, mas que você pode buscar aquilo dentro de uma peça que tenha a ver com seu estilo.



Por fim, um bate-bola rapidinho:


Manhãs ou noites?

Manhãs!


Bebida favorita?

Água.


Série ou filme que você ama?

A-M-O Skins.


Qual música ou artista não para de escutar?

Bring me The Horizon.


Tem algum livro que te marcou muito, ou está lendo algum título que recomenda?

As vantagens de ser invisível! E tô lendo “todas as mulheres são bruxas”.


Um conselho ou mantra que leva para a vida

Seja quem você quiser ser, sem pedir licença!