Um Guia Completo Para Manter o Foco e o Bem-Estar Trabalhando de Casa

Se você recentemente passou a trabalhar como autônomo ou está praticando o home office devido ao Covid-19, vem aprender a como manter (quase) tudo sob controle.



Escrevo esse post enquanto tomo um café e meus cachorros dormem embaixo da minha mesa. Comecei a trabalhar de casa há mais ou menos uns seis meses, depois de pedir demissão do meu último trabalho para me tornar autônoma.


Em casa, tudo muda. Demorei um pouco para pegar o jeito da coisa, mas aprendi vários truques na manga, que resolvi partilhar aqui. Coisas que me fizeram ter dias melhores comigo mesma e horas mais produtivas de trabalho.


É claro que todo mundo tem sua realidade, um ritmo e um jeito diferente de viver e trabalhar. Eu não tenho filhos e moro com meu noivo, que é freelancer há anos, o que já é um cenário bem tranquilo. Mas tenho certeza que pelo menos uma ou algumas das dicas aqui servirão para qualquer pessoa que está tentando manter a vida de home office em ordem.


Tudo que está listado aqui são coisas que uso ou faço diariamente. Esses são os meus life-hacks da vida de freelancer, e os conselhos que sempre repasso em conversas com amigos.



1) Comece bem o dia


Tem quem jure que você precisa tomar banho gelado assim que acorda, e tem quem não consiga começar o dia sem antes fazer exercícios ou comer uma boa refeição. Rituais variam de pessoa para pessoa.


Apesar das diferenças, acredito que há três coisas que são fundamentais para fazer no começo do dia, mesmo que aconteçam de forma diferente para cada um: se alimentar bem, se arrumar e fazer a cama.


Como gosto de levantar bem cedo, não sinto fome quando acordo. Começo a trabalhar apenas acompanhada de um café ou chá. Faço uma pausa lá pelas 10h da manhã para comer algo (nutritivo!) e espairecer um pouco, e isso funciona muito bem para mim. Sinta-se bem com o que funciona para você.


Você já deve ter ouvido por aí o clássico conselho para quem trabalha de casa: não ficar de pijama. É clássico porque funciona. E funciona porque é importante se sentir bem para fazer qualquer coisa bem-feita. No meu caso, eu preciso gostar da roupa que estou usando, e sempre faço minha maquiagem para o dia a dia, mesmo que passe o tempo todo em casa. Com isso me sinto mais bem disposta e tranquila, o que naturalmente se reflete no meu trabalho.


Fazer a cama também é um conselho que vale a pena repetir. É chave para começar o dia com aquele orgulhinho e sensação de dever cumprido e vida em ordem. Além disso, você vai agradecer pelos cinco minutos que dedicou a isso sempre que passar pelo quarto.


2) Tenha horários, mas saiba ter flexibilidade


Acho essencial ter um cronograma para o dia e saber cumprir com horários, mas sempre bato na tecla de que não é preciso tanta rigidez. Acredito muito que melhor do que ter horários muito certinhos definidos é ter uma janela para deixá-los um pouco mais flexíveis para a vida real.


Eu gosto de almoçar ao meio-dia, mas nem sempre consigo. O importante é que definitivamente não deixo passar das 13h30. No meu caso, separo algumas janelas de horários durante o dia para coisas que sei que são indispensáveis em todos os meus dias: um tempo para passear meus cachorros, para cozinhar, para fazer exercícios. E claro, um horário para começar e outro para parar de trabalhar.


Analise tudo que você precisa fazer ao longo do dia e deixe janelas de horários pré-definidos para suas prioridades diárias. Sempre terá coisas menores que são imprevisíveis e acontecem sem nosso controle. É assim mesmo, acostume-se: você está em casa. O importante é não deixar as tarefas que sempre vão existir se acumularem e atropelarem o seu dia.


Caso você more com outras pessoas, deixe claro para elas como funcionam os seus horários e explique também sobre essa flexibilidade.



3) Visualize tudo o que você precisa fazer


Essa é a dica mais importante para mim. Eu não confio muito na minha memória, mas sei que sou uma pessoa muito responsável – e por ser responsável é que admito isso.


A gente precisa ser mais inteligente que as nossas falhas. No meu caso, por não conseguir decorar minha programação, eu preciso visualizar todos os dias o que preciso fazer. A melhor solução que encontrei para isso, de longe, foi ter um calendário enorme de parede. Desses onde realmente consigo escrever uma lista de coisas em cada quadradinho de cada dia.


Todas as manhãs, assim que sento na minha mesa de trabalho, bato o olho na parede e no meu belíssimo calendário impresso em A3 e já visualizo tudo que preciso fazer no dia, na semana e no mês.


Não tem erro. Já poupei muita dor de cabeça com essa organização.


Aliás, ter o calendário me motivou a ser ainda mais organizada. Hoje em dia também tenho um planner e um caderno para organizar meus projetos e horários, mas vieram depois do calendário. O fato é que ele ainda é o meu maior salva-vidas.


E sim, antes disso, testei todos os aplicativos online possíveis, e não me dei muito bem com nenhum. Para muita gente, se organizar digitalmente funciona, e opção é o que não falta: Google Calendar, Trello e Freedcamp são algumas.



4) Monitore suas horas de trabalho


Depois de muitas tentativas mal sucedidas com outros métodos de cronometrar tempo de trabalho, descobri o myHours e minha vida mudou. O site é, de longe, o mais útil que já encontrei para o assunto, e só uso a interface gratuita dele. Tem um aplicativo também, mas nunca testei.


De forma simplificada, o site controla suas horas de trabalho. Quer dizer, essa é a função básica dele. Sempre que você começa a trabalhar em um projeto, você dá o play e os minutos começam a rolar. Se fizer uma pausa, é só dar stop.


Não tem alarme, só o tempo rolando e você decidindo quando pausar e quando recomeçar. Se você gosta de ter um alarme para trabalhar por X tempo e descansar por Y, você pode usar o site em conjunto com a técnica Pomodoro.


Se você não fala inglês ou não gosta dos aplicativos onlines, uma forma prática e possível de monitorar suas horas é simplesmente anotar cada momento de início e término de trabalho.


No myHours, três coisas principais me fizeram gostar muito dele:


  • Você pode criar um perfil e organizar seus trabalhos por project, tasks e clients. Caso trabalhe para uma empresa só, pode criar vários projetos para um cliente só (sua empresa, no caso). Caso esteja trabalhando em um projeto pessoal, pode colocar o seu próprio nome como um cliente, por exemplo – e por aí vai.


  • A ação de começar e interromper o trabalho é manual, e isso dificulta as distrações. Você fica consciente das suas pausas, e começa a perceber e evitar os exageros. Afinal, se cada vez que você abrir o Twitter você tiver que ir lá apertar o stop, você vai ver querer fazer isso menos vezes. É possível pausar e recomeçar quantas vezes quiser em um mesmo projeto. Você vai criando várias "caixinhas de tempo" (time log). Depois, o site contabiliza todas elas para você visualizar o tempo total que passou em cada projeto.


  • Ainda tem um benefício extra para freelancers: você pode colocar o preço da sua hora nas configurações, e isso fica salvo lá. O caminho para configurar isso é: Manage - Team Member - (Seu nome) - Action - Edit. Tendo um valor estipulado para sua hora de trabalho, o site soma o valor de todas as horas que você passou trabalhando em cada projeto e cliente. Ou seja: você visualiza facilmente se recebeu de acordo com o tanto que trabalhou. Isso me ajudou muito a ser mais inteligente em meus orçamentos.


4) Bloqueie sons externos de forma inteligente


Eu adoraria ouvir minhas músicas preferidas enquanto trabalho, mas é impossível para mim. Como eu trabalho com escrita e edição, sempre estou fazendo uma dessas coisas: lendo, escrevendo ou analisando um texto. Durante nenhuma dessas funções, consigo ouvir música.


Mas consigo e gosto de ouvir sons ambientes e da natureza ou músicas sem letra. E uma dessas opções sempre vai estar tocando no meu fone de ouvido.


O site que eu mais usava na vida, mesmo antes de ser freelancer, era o Noisli. Mas descobri essa semana que ele passou a limitar a sua versão gratuita para apenas 25 minutos de uso diário. Encontrei uma ótima alternativa gratuita, que é o myNoise. O site tem uma interface meio antiga, mas é fácil de usar. Tem todo tipo de som ambiente que você imaginar. Ultimamente tenho ouvido bastante os sons do mar da costa irlandesa, rs.


Outra coisa muito interessante e diferente do myNoise são as "batidas isocrônicas" que, nas palavras do site, "produzem respostas corticais muito fortes no cérebro." Sobre a ciência por trás, nada sei, mas o fato é que uso e gosto. Nunca ouço só elas, mas deixo tocando baixinho no fundo enquanto ouço outros sons ou música.


Por fim, a minha playlist preferida para ouvir enquanto trabalho é a Lo-Fi Beats, do Spotify. Ela não é bem o que eu imaginaria que fosse funcionar comigo, mas tem alguma magia ali. A descrição do Spotify é que é uma playlist com "batidas para relaxar e focar", e é exatamente isso que acontece. Recebi a recomendação de uma amiga e desde então vivo passando adiante.


Caso você não tenha Spotify, uma boa alternativa é essa playlist no YouTube, que tem a mesma intenção.


5) Arrume sua casa e arrume sua mesa


Ninguém quer (ou consegue) trabalhar olhando para uma pilha de roupas sujas ou para um ambiente sujo e uma mesa amontoada de papeis. Escolher um cantinho para trabalhar não significa se jogar no sofá com o laptop no colo.


Busque um lugar iluminado, com uma cadeira confortável, de preferência próximo a uma janela, pois isso vai fazer diferença no seu bem-estar. Limpe sua casa e organize o seu cômodo de trabalho ao máximo, principalmente a sua mesa.


Seu espaço de trabalho em casa pode e deve ter a sua cara, mas precisa ter um ar profissional. Facilite a sua vida com algumas dicas práticas: mantenha os cabos carregadores de celular e PC sempre à mão, use e abuse de caixas organizadoras para guardar bagunças com as quais você não quer lidar no momento, não deixe lápis, canetas ou papeis soltos aos montes se acumulando e tenha sempre uma garrafinha de água ao alcance.


Torne seu espaço visualmente agradável. Pendure um quadro ou ponha na mesa uma foto que você gosta, escolha um calendário bonito, deixe plantas e flores à vista. Muitas vezes o que consideramos "detalhes" são as coisas que mais fazem diferença.


Nosso cérebro vira uma chavinha quando nos sentimos bem.


Trabalhar de casa é um aprendizado contínuo porque é também uma forma de autoconhecimento.


Tem seus desafios, como tudo na vida, mas com o tempo você vai pegando o jeito. Pessoalmente, me sinto extremamente sortuda e sei do privilégio que é poder tocar esse estilo de vida. Acho muito recompensador, mesmo que nem sempre fácil.


Com um pouco de prática e dedicação, dá para descobrir quais são as coisas principais que você precisa ter e fazer para que esse esquema funcione cada vez melhor por aí.


No fundo, é como tudo na vida: temos que testar e aprender com os erros para conseguir acertar.


Espero ter acendido alguma luzinha por aí para um bom começo.

*


Paula Medeiros é a criadora e editora da newsletter Chicas & Dicas. Apaixonada por livros, bichos e música pop, é editora e escritora freelancer (mas guarda a maior parte dos seus textos em seu diário).